• "O verdadeiro evangelho exalta a Deus... Se camuflado a excelência perderá!"

    NATAL - O INSUPERÁVEL PLANO DE DEUS





    Natal - O insuperável plano de Deus



    A história de Jesus é tão simples que pode ser facilmente narrada a uma criança. Mas também complexa ao revelar que Ele é Deus e também homem, Cordeiro e Leão, sendo ao mesmo tempo Profeta, Sacerdote e Rei. 

    O natal é um manifesto do insuperável plano de Deus, revelado em diversas partes das Escrituras e também em Hebreus 4:14-16. 

    14. Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus, como grande sumo sacerdote que penetrou os céus, conservemos firme a nossa confissão. 15. Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado. 16. Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna. 

    Era parte do insuperável plano de Deus que Jesus se tornasse “à nossa semelhança” (v.15). Perante a eterna e pura justiça de Deus estaríamos todos condenados se não houvesse um “à nossa semelhança” que, “tentado em todas as coisas” e “sem pecado” se colocasse em nosso lugar. O nascimento de Jesus é parte deste insuperável plano. Sem o natal estaríamos condenados a experimentar a pesada justiça de Deus, sem a sua misericórdia. 

    Era parte do insuperável plano de Deus que Jesus fosse o sacrifício que venceria a morte (v. 14-15). Jesus é o sumo sacerdote e ao mesmo tempo o sacrifício. O sacerdote era o homem que, no Antigo Testamento, deveria se aproximar de Deus o quanto possível para oferecer sacrifício pelo pecado do povo, para que fossem perdoados. Jesus é aqui apresentado como o “supremo sacerdote” (entre Deus e os homens) e igualmente como o sacrifício, que é absoluto, perfeito e eterno. Como Cordeiro totalmente puro o seu sacrifício é absoluto: não precisa de complemento, penitências ou novos acordos; como inteiramente homem seu sacrifício é perfeito: um semelhante a nós morrendo por todo aquele que crê; como inteiramente Deus seu sacrifício é eterno: o que Ele fez transformou vidas e mudou a história por toda a eternidade. 

    Era também parte do insuperável plano de Deus que Jesus nos levasse ao trono de graça (v.16). Encontramos no verso 16 uma fantástica revelação: há um trono da graça! Ele existe porque o sumo sacerdote nasceu entre nós, conheceu nossas tentações e se compadece a cada dia de nossas fraquezas. Esta é a mensagem aos que estão enfraquecidos, desanimados, angustiados, confusos ou perdidos: há um trono de graça! Podemos nos achegar a ele “confiadamente” por causa do Cordeiro-Leão Jesus de Nazaré. 

    Os efeitos do natal (Jesus entre nós) são transformadores. Por causa do natal podemos abrir a boca e, em Cristo, falar diretamente com Deus – e sermos ouvidos. Podemos elevar nosso coração e, em Cristo, adorar ao Senhor – e Ele ser exaltado. Podemos ter, em Cristo, nossos pecados perdoados – e sermos santificados. Podemos confessar o Seu nome e, em Cristo, sermos salvos – para sempre. 

    E todo este insuperável plano de Deus aconteceu para que fosse dito: "seus pecados estão perdoados". 

    Ronaldo Lidorio

    Fonte: Facebook do autor.

    0 comentários:

    Postar um comentário