• "O verdadeiro evangelho exalta a Deus... Se camuflado a excelência perderá!"

    LOUVOR E ADORAÇÃO | PARTE II



    LOUVOR E ADORAÇÃO | MATTEUS ALMEIDA


    A adoração bíblica


    Como diria Zack Bolen  Adoração vai além daquilo que fazemos como banda”, de fato, é algo bem mais profundo que concerne todo o ser do Cristão. Não é simplesmente tocar ou ouvir uma música que nos emociona, ou ouvir o sermão dominical. Se o que entendemos por adoração, passa somente por estes pontos, somos adoradores superficiais, considerando que existem pontos que são partes essenciais na vida cristã.

    No louvor, primeira parte da série, o que há é um meio da adoração propagada. Contudo, não há uma adoração limitada a música é algo bem mais profundo, pois compreende todo o ser do indivíduo, sua vida por completa. Quanto a Deus, não está em busca de música, mas de verdadeiros adoradores. Vejamos o que a bíblia fala no capítulo 4 do Evangelho de João sobre a adoração a Deus: "Porém a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem." (vv.23).

    A adoração bíblica passa por oração, leitura da escrituras, autoexame e a meditação. O cristão deve está em constante devoção, não se limitando ao momento do culto público. Adoração por meio da música deve estar pautada com uma vida em obediência e santidade, caso contrário, não quer dizer nada.

    "Quero, pois, que os homens orem em todo o lugar, levantando mãos santas, sem ira nem contenda." (1 Tm 2:8)

     "Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus." (Jo 4.22)

    "Virão muitos povos e dirão: Vinde, subamos ao monte do Senhor; à casa do Deus de Jacó, para que nos ensine acerca dos seus caminhos e andemos nas suas veredas; porque de Sião sairá a lei e de Jerusalém a palavra do Senhor." (Is 2.3)

    Os versículos nos mostram que é necessário saber a quem estamos dirigindo nossa adoração, e assim conhecermos os estatutos do Senhor para compreender de que forma se adora a Deus, estar nos caminhos do Senhor, cumprindo a sua vontade é uma devoção centrada em Cristo.

    "Porque a lei foi dada por moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo. (Jo 1.17)

    "Deus é espírito e importa que os que o adoram, o adorem em espírito e em verdade." (Jo 4.24)

    Antes de qualquer expressão exterior, gestos e afins, Deus busca o nosso coração. Pois uma adoração que não passa pelo intelecto não tem fundamentação na bíblia. A devoção à Deus concerne fundamentalmente o coração do indivíduo, e um coração obediente ao Senhor, faz tudo por amor. O exterior deve ser o reflexo do interior, não sendo a nossa adoração apenas visual, não apenas por gestos. Se assim for, estamos enganando a nós mesmos e aos homens, mas não à Deus. Costumo dizer que a nossa reverência no templo é tão somente o reflexo de nossa busca particular.

    E não nos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito, falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais”. (Ef 5.18-19)

    “Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração" (Cl 3:16)

    Busquemos ao Senhor em verdade, visto que ainda há tempo de nos despirmos da hipocrisia, e confessar a nossa vida desregrada aos pés da cruz. Deus busca adoração em verdade, pois só assim podemos agradá-lo, e os frutos de arrependimento devem acompanhar essa adoração verdadeira. Ou seja, uma constante busca por santificação. Do que adianta chorar, pular, cantar se ainda vivemos em pecado? se ainda temos uma vida carnal? Não existe adorador carnal, esta não é uma característica de alguém convertido e regenerado pelo Espírito Santo. Se ainda somos taxados como carnais, devemos reavaliar a nossa caminhada e buscar uma conversão genuína. O Cristão guarda os mandamentos de Deus e vive segundo o seu Espírito. O Fruto do Espírito transborda do seu ser. Deus quer uma adoração inteligente, zelo sem conhecimento de nada adianta para santificar o sagrado dentro de nossos corações, uma reverência com todo o nosso entendimento e não na ignorância da superstição como acontecia em Atenas:

    "E, estando Paulo no meio do Areópago, disse: Homens atenienses, em tudo vos vejo um tanto supersticiosos; Porque, passando eu e vendo os vossos santuários, achei também um altar em que estava escrito:  AO DEUS DESCONHECIDO. Esse, pois, que vós honrais, não o conhecendo, é o que eu vos anuncio." (At 17:22,23)

    "Porque a circuncisão somos nós que servimos a Deus em espírito e nos gloriamos em Jesus Cristo, e não confiamos na carne. (Fp 3.3)

    "Este povo honra-me com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim." (Mt. 15.8)

    "Mas, em vão me veneram, ensinando doutrinas que são preceitos dos homens." (Mt.15.9)

    Adorar é render graças a Deus por tudo o que Ele é e por tudo o que Ele tem feito, o Senhor é adorado nos salmos por todas as suas maravilhas, seus atributos são evidenciados. É o criador do mundo e o único redentor. Em toda verdadeira adoração a mente deve está conectada com estas verdades. Paulo advertiu os coríntios sobre o culto "ininteligível" e assim como eles nós vamos prestar contas com Deus acerca de nossa adoração, cantamos muito e vivemos pouco, muitas das vezes somos "adoradores extravagantes" mas não servimos, nem ajudamos o necessitado. Neste contexto alguns criaram um dualismo na fé cristã que não existe, se não somos éticos, piedosos, santos, nossa adoração é vã, adoramos apenas com lábios, um dos maiores enganos que existe é que adorar é simplesmente cantar. Examinemos nossos corações com sinceridade, porque isso Deus já o faz, podemos nos enganar mas não a Ele.


    Estou cansado da música que faz jovens pularem ao invés de dobrarem seus joelhos. (David Wilkerson).

    SDG,


    0 comentários:

    Postar um comentário