• "O verdadeiro evangelho exalta a Deus... Se camuflado a excelência perderá!"

    PERDOADOS ESTÃO SEMPRE PRONTOS A PERDOAR





    Perdoados estão sempre prontos a perdoar | João Eduardo Cruz


    Jesus disse aos seus discípulos: "É inevitável que aconteçam coisas que levem o povo a tropeçar, mas ai da pessoa por meio de quem elas acontecem. Seria melhor que ela fosse lançada no mar com uma pedra de moinho amarrada no pescoço, do que levar um desses pequeninos a pecar. Tomem cuidado. "Se o seu irmão pecar, repreenda-o e, se ele se arrepender, perdoe-lhe. Se pecar contra você sete vezes no dia, e sete vezes voltar a você e disser: ‘Estou arrependido’, perdoe-lhe". Os apóstolos disseram ao Senhor: "Aumenta a nossa fé!” - Lucas 17:1-5

    Jesus começa nesse trecho do Evangelho de Lucas falando da nossa responsabilidade para com a caminhada de fé dos nossos irmãos. Nós sabemos que a forma pela qual nós testemunhamos, ou seja, representamos nossa fé, tem muita influência sobre aqueles que nos cercam, para bem ou para mal. Por isso nosso Senhor mostrou que quão louca é a atitude de quem faz um dos seus “pequeninos” tropeçar.

    O mais interessante do texto é o exemplo que Jesus dá: “Se teu irmão pecar repreende-o”. Note que a repreensão sobre o pecado de um irmão não significa que estamos abalando sua fé, muito pelo contrário, Jesus nos diz que “se ele se arrepender, perdoe-lhe”. Não é requerido de nossa parte o perdão para este irmão enquanto ele não se arrepender. Ao que parece, o não arrependimento já demonstra que o irmão não tem a fé que o conduz para Deus (Rm 2.4, 2 Tm 2.25). 

    É bom salientarmos que aquilo que Jesus está colocando aqui tem a ver com a questão de ajudar um irmão a se manter em sua caminhada de fé. Da mesma forma que não nos é exigido conceder o perdão ao irmão que não se arrependeu, também nos é exigido conceder o perdão ao irmão que se arrepende. “Se pecar contra você sete vezes no dia, e sete vezes voltar a você e disser: ‘Estou arrependido’, perdoe-lhe”.

    Eu fico imaginando alguém vindo até mim no mesmo dia sete vezes relatando o arrependimento de um pecado atrás do outro. Alguns de nós imediatamente tacharíamos tal pessoa de irresponsável, imatura, e por fim questionaríamos sua fé. Isso, para Jesus, seria uma forma de nós fazermos “tropeçar um pequenino”.

    Algumas coisas precisam ser observadas aqui. Em primeiro lugar, o fato de uma pessoa se arrepender de seus erros significa que ela tem um temor a Deus em seu coração, e isso não poderia jamais ser desprezado por nós, pois a própria Escritura sagrada nos garante que “um coração quebrantado e contrito, ó Deus, não desprezarás” (Sl 51.17).

    Em segundo lugar, acolher e perdoar o irmão é fundamental para que ele prossiga, pois é uma forma de ajudá-lo no caminho, visto que a rejeição seria uma maneira de o abandonarmos.

    Somos responsáveis por manter viva a esperança daqueles que caminham conosco, mesmo em meio às fraquezas. Não é uma tarefa fácil, mas devemos lembrar que o perdão que damos hoje pode ser o que pediremos amanhã. E foi exatamente por perceberem o grau de dificuldade de manter um coração perdoador que os discípulos pediram ao Senhor depois de ouvir essa admoestação: “Aumenta a nossa fé!”.


    0 comentários:

    Postar um comentário