• "O verdadeiro evangelho exalta a Deus... Se camuflado a excelência perderá!"

    LEVEMOS DEUS ÀS COMPRAS!




    LEVEMOS DEUS ÀS COMPRAS! | por Ingryd Fernandes


    Vê-se nitidamente a influência midiática “caindo” no gosto cristão. Pois, é notável que as igrejas, não só as da atualidade, estão servindo, muitas vezes, como palcos ou até mesmo como verdadeiras “passarelas” para que homens e, principalmente, mulheres desfilem seus belos e finos trajes sem moderação e autocontrole, com a finalidade de obter elogios para massagear o ego e palmas para fortalecer a autoestima. Tendo em vista tal problemática, as Escrituras nos exortam em 1 Timóteo 2.9-10, afirmando que as mulheres devem se vestir com modéstia, decência e discrição. 

    Este quadro está intimamente relacionado ao que chamamos de imodéstia ou falta de modéstia. Mas afinal, qual é a definição bíblica de modéstia? Significa conformidade com os padrões morais e éticos de algum grupo social, tendo por base o pudor e a decência. Ou de forma mais simplificada, a modéstia é o ato ou a ação de evitar o uso de vestimentas e adornos que são considerados sensuais ou extravagantes. 

    Baseado nisso, recordo-me de uma citação de Paul Washer que nos alerta acerca da temática dizendo: “A sensualidade é somente um anúncio público do coração! Fujam disso!” [1] Mas porque Washer relacionou a nossa forma de se vestir com a condição de nosso coração? Bem, vamos pensar um pouco. A princípio, quero deixar claro que não estou aqui para julgar o padrão de vestimentas de ninguém, até porque sou uma jovem mulher que também gosta de se vestir bem. Entretanto, devemos ser bem críticas e criteriosas em relação a isso, pois as vestimentas podem revelar o que há em nosso coração! 

    Vamos exemplificar para melhor compreensão. Quando alguém não se veste de forma modesta, ela revela o seu orgulho, como nos mostra Gálatas 5:19-21: “Além disso, as obras dos instintos egoístas são bem conhecidas: fornicação, impureza, libertinagem, idolatria, feitiçaria, ódio, discórdia, ciúme, ira, rivalidade, divisão, sectarismo, inveja, bebedeira, orgias e outras coisas semelhantes”, pois sua real intenção ao se vestir desse modo é mostrar suas curvas e não o evangelho. Como consequência disso, ela acaba fazendo com que, muitas vezes, os homens caiam em adultério, em luxúria ou em lascívia. Bem Como, pode fazer alguns irmãos ou irmãs se escandalizarem. E não para por aí! Não podemos nos esquecer dos homens quando falamos de roupas, não é? Pois a cultura atual, tão recheada de promiscuidade e imoralidade, tem gerado homens com corpos cheios e mentes vazias. 

    Visto isso, podemos afirmar que tudo isso está ligado ao humanismo, ou seja, o cenário no qual o homem está sob holofotes. Percebe-se, então, que há uma necessidade de autossatisfação e que a aceitação social é apregoada de forma errônea. Logo, há resquícios das mazelas de uma sociedade corrompida e, como espelho dela, temos o homem caído. Reflitamos sobre isso! Há um pensamento de Simone Quaresma que traduz de modo simples o que discorri nesse parágrafo: “A mulher piedosa é aquela que deseja viver de acordo com o chamado que Deus conferiu a ela, não devotará sua vida as futilidades exigidas por este mundo mau, que jaz no maligno. Ela desejará para si um modelo mais alto, mais sublime. Ela se preocupará não com o que suas amigas acham dela, de sua casa ou de seu novo penteado, mas com o que Deus vê quando olha para ela.” [2] 

    Perceba que à medida que prosseguimos com esse texto, caminhamos cada vez mais para um caminho estreito, pois, com a explanação do assunto, percebemos que somos chamados por Deus para um lugar onde somos confrontados, visto que, a verdadeira conversão requer mudanças, não necessariamente bruscas, mas gradativas. E sim, até as nossas vestes devem refletir essa transformação e, como consequência, glorificar a Ele. Lembremo-nos também que nosso corpo é templo e morada do Espírito Santo (1 Coríntios 6:19), portanto, carregamos a arca conosco, logo, o bom testemunho será mais cobrado. 

    Como complemento, temos em "A Rebelião da Nudez e o Significado das Roupas" de John Piper, a reafirmação de tudo o que já lemos aqui, por exemplo: “Roupas não existem para fazer as pessoas pensarem a respeito do que há debaixo delas. Elas devem desviar a atenção para o que não está debaixo delas: mãos misericordiosas que servem aos outros no nome de Cristo, belos pés que levam o evangelho para os lugares necessitados, e o esplendor de uma face que contemplou a glória de Jesus.” [3] 

    Portanto, rapazes e moças, reflitamos sobre nosso testemunho a começar pelas vestimentas. Elas poderão dizer muito sobre nós! Usemos de nosso discernimento e de nossa criticidade ao irmos às compra e, o mais importante, levemos Deus conosco!

    Ingryd Fernandes.

    Abaixo, deixamos pra vocês o vídeo da pregação do Paul Washer:




    ________________________________________________________________
    1. Visto no vídeo do canal Voltemos ao evangelho.

    2 comentários:

    1. O mundo precisa de mulheres assim!!!!!!!
      Show de bola!!

      ResponderExcluir
    2. Rosania Rodrigues20 de abril de 2015 21:44

      Excelente texto! Parabéns pela postagem. Realmente precisamos mostrar o agir de Deus em nossas vidas até no que pode aparentar não ter tanta importância.

      ResponderExcluir