• "O verdadeiro evangelho exalta a Deus... Se camuflado a excelência perderá!"

    O CRISTIANISMO REDUZ AS MULHERES?



    O CRISTIANISMO REDUZ AS MULHERES? | Ingryd Fernandes


    Em meio ao caos e a inversão de valores no século XXI, sabe-se que o papel da mulher corrompeu-se. É indiscutível afirmar que as mulheres têm alargado suas fronteiras na sociedade atual, de fato, porém infelizmente a igualdade de gênero ainda não foi possível. Todavia, boa parte de suas reivindicações foram atendidas, dando-lhes maior liberdade de expressão em uma cultura que ainda cultiva uma linha de pensamento machista.

    Em contrapartida, surge uma discussão clássica que é vivenciada no contexto bíblico com Adão e Eva. Gêneses narra a imprudência da personagem feminina, que toma a frente de seu parceiro ao ter a decisão errônea de comer do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal e ainda culpa a serpente. Tal passagem se contrapõe ao que está escrito em 1 Coríntios 11.3 que nos diz que Cristo é a cabeça do homem, o homem a da mulher, e Deus a cabeça de Cristo. Abordar essa temática dessa forma, poderia acabar soando como “que pensamento quadrado e machista!”. Mas não, à luz da palavra, sabe-se que a mulher deve ser submissa ao seu marido.

    Quando me remeto à submissão, não me refiro às situações humilhantes ou até mesmo de maus tratos. Mas que a mulher assuma o seu papel de auxiliadora do cônjuge assim como as Escrituras nos ensinam em Gênesis 2.18, que nos diz, claramente, que Deus viu que não era bom que o homem ficasse só, por isso, Ele fez para Adão uma ajudadora que, sobretudo, fosse idônea. 

    Atualmente, enfrentamos fortes ondas de ideologias que contradizem as Escrituras em diversos pontos. Como exemplo principal temos o Feminismo que a principio prega a igualdade de gênero mas, em contrapartida, é a favor da descriminalização do aborto, do direito a autonomia do próprio corpo, dos movimentos lésbicos, da independência ou autossuficiência da mulher. Reflitamos! Não estou dizendo que é contra a lei divina que a mulher tenha a autonomia em diversas áreas, todavia ela deve ter discernimento acerca do que a Palavra de Deus a exorta sobre sua conduta. Devemos, portanto saber quem nós somos em Cristo e o que podemos nEle! Devemos ter a mente de Cristo e assim estarmos atentas ao que Paulo diz em Efésios 5.22-24 sobre a submissão da mulher ao seu marido que é comparado a Cristo, a cabeça do corpo.

    Já perdi as contas de quantas vezes já ouvi de colegas que a Bíblia é um livro totalmente machista! Após ouvir tal equívoco, sempre tomei precaução em como desmentir esse erro. É inegável que sim, a Bíblia cita mais a figura masculina do que a feminina e ainda traz as tradições da época. Mas isso não significa que a mulher, naquela época, não tenha dado sua contribuição. Como, por exemplo, Ester ajudou a salvar o povo judeu. Débora foi heroína de guerra. Maria foi a mãe do Messias. Entre tantas outras personagens que evidenciam a importância da figura feminina no contexto histórico. Outro exemplo interessante são os relatos bíblicos que encontramos do casal Priscila e Áquila. O nome dela na maioria das vezes vem antes do dele (Romanos 16:3, 2 Timóteo 4:19, Atos 18:18;26), muito provavelmente por ser uma mulher bastante influente naquela ocasião. Mas é interessante ressaltar que influente não quer dizer que ela era uma pastora ou apóstola, muito menos insubmissa ou uma mulher com ideais feministas.

    O cristianismo não reduz as mulheres, mas as valorizam. Jesus em seu ministério deu devida atenção a elas e na história do cristianismo homens piedosos puderam exercer bem o seu ministério porque tinham ao lado mulheres piedosas, que oravam por eles, consolava-os, auxiliava-os, estavam sempre ao lado para que juntos pudessem glorificar a Deus. No fim de seu ministério Lutero escreveu a um amigo sobre sua esposa, Katharina: “Minha querida Kate me mantém jovem, e em boa forma também… Sem ela, eu ficaria totalmente perdido. Ela aceita de bom grado minhas viagens e quando volto, está sempre me aguardando com alegria. Cuida de mim nas minhas depressões e suporta meus acessos de cólera. Ela me ajuda em meu trabalho, e acima de tudo, ama a Cristo. Depois Dele, ela é o maior presente que Deus já me deu nesta vida. Se algum dia, vierem a escrever a historia de tudo o que já tem acontecido (a Reforma), espero que o nome dela apareça junto ao meu. Eu oro por isso…” Ao tomar conhecimento dessa declaração, Katharina respondeu: “Tudo o que tenho feito se resume a simplesmente duas coisas: ser esposa e mãe, e tenho certeza que uma das mais felizes de toda a Alemanha!”. [Citação do livro: Grandes Mulheres da Reforma, de James I. Good]

    A mulher é sim, uma guerreira! Pois dentre tantos afazeres (lar, trabalho, esposa, mãe, filha e serva), ela não se amolda ao padrão desse mundo. Viva as mulheres virtuosas!!!

    Por Ingryd Fernades. 

    1 comentários:

    1. Olha esse texto tem inspiração de Deus e sim, as mulheres têm um papel importantíssimo na sociedade e sem elas nós homens não conseguiríamos lhe dar com nada pois elas nos ajudam e nos inspiram! Fomos feitos pra ser um só corpo e uma só carne juntos com Cristo! Parabéns pela sua opinião! A paz de Cristo minha irmã!
      J.

      ResponderExcluir