• "O verdadeiro evangelho exalta a Deus... Se camuflado a excelência perderá!"

    TORNANDO-SE COMO JESUS | BONDADE - (7/10)



    Você já parou para pensar sobre as 9 características expressas em Gálatas 5, chamadas de fruto do Espírito? “Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio.” (Gl 5:22, 23)

    Nesta série de vídeos chamada “9 por dia” [9-a-day], Chris Wright, diretor internacional da Langham Partnership, nos convida a meditarmos em cada uma dessas características, afim de nos tornarmos mais como Cristo.

    Neste vídeo, ele medita sobre bondade, mostrando como Deus é descrito como bondoso no Antigo Testamento e como Cristo nos deu exemplo de agir de forma correta mesmo sendo maltratado.

    Quando respondemos ao mal no mundo com fruto positivo do Espírito de benignidade e bondade, em primeiro lugar, estamos vivendo no poder da cruz e também antecipamos aquela vitória final da bondade de Deus sobre todo o mal no universo.



    Confira a série completa: (SE O LINK NÃO FUNCIONAR É PORQUE AINDA NÃO PUBLICAMOS)


    BENIGNIDADE | BONDADE | FIDELIDADE | MANSIDÃO | DOMÍNIO PRÓPRIO
    ________________________________________________________________________________

    Transcrição - BONDADE


    Bondade. Paulo coloca benignidade e bondade juntas. E, é claro, elas têm muito em comum. Especialmente têm em comum um elemento de generosidade. Jesus contou uma história de um homem que possuía uma vinha, e saiu para empregar pessoas para trabalhar nela. Ao longo do dia, as pessoas chegavam em horários diferentes, e no final do dia quando estava pagando seus salários, ele pagou às pessoas que começaram no início do dia um salário por um dia completo. E depois vieram aqueles que chegaram no fim do dia, que trabalharam apenas uma ou duas horas, e ele pagou a eles também o salário por um dia completo. Então os primeiros trabalhadores acharam isso muito injusto, e reclamaram. E Jesus disse a eles: “Vocês têm inveja e ciúmes porque eu sou generoso”. E a palavra que Jesus usou ali é “bom”. Em outras palavras, pessoas boas não estão necessariamente preocupadas com o que é certo e justo, mas querem transmitir generosidade e benignidade. É isso que Jesus parece estar dizendo.

    Com a pessoa boa, o que você vê é o que você consegue. Elas são tudo o que parecem ser. São completamente transparentes. Não há vergonha, pretensão. Nenhuma representação. Não estão fazendo isso apenas pelas aparências, mas fazem o que fazem simplesmente porque é a coisa boa e certa a se fazer. Então bondade é uma qualidade transparente. Você pode depender de uma pessoa boa, porque elas fazem o que dizem e são o que são.

    Então vamos pensar, em primeiro lugar, em Deus como bom. Cristãos africanos têm um ditado que adoram usar juntos em um tipo de cantiga, que diz: Deus é bom o tempo todo; O tempo todo Deus é bom.

    E, de fato, quando olhamos na Bíblia, esta é uma das afirmações mais fortes que se encontra especialmente no Antigo Testamento e nos Salmos. ”Rendei graças ao SENHOR, porque ele é bom”. Salmo 107:1

    Salmo 119:68: “Tu és bom e fazes o bem”. Então mesmo quando coisas ruins acontecem, pode-se confiar que Deus trará um bom resultado, mesmo através das coisas más que seres humanos fazem. É um dos mistérios da soberania e da providência de Deus. Então no fim do livro de Gênesis, por exemplo, José disse a seus irmãos: ”O que vocês intentaram para o mal que vocês intentaram era mal; não há desculpa para isso. Mas Deus o intentou para o bem, para salvar muitas vidas”. Então Deus é bom o tempo todo.

    Pessoas boas resistem à tentação de seguir o caminho mais fácil. Elas continuam a fazer o que é certo e bom, mesmo quando há outras opções possíveis. Por exemplo, o Salmo 15 descreve a pessoa justa como alguém que faz o que é certo e fala a verdade do coração, que mantém sua promessa, mesmo quando isso traz dor. Então Deus é bom, pessoas que conhecem a Deus são boas, e é claro, Jesus, como Pedro coloca em Atos 10, “andou por toda a parte fazendo o bem”. E isso não significa apenas que Jesus era legal, gentil e amoroso com outras pessoas, o que, é claro, ele certamente era, mas significa que ele era comprometido em fazer o que era certo, com fazer o que Deus queria que ele fizesse, mesmo que todo o seu ministério tenha sido atacado com tentações e convites para escolher o caminho mais fácil. O diabo o tentou a fazer isso em suas tentações. Pedro tentou fazê-lo tomar outro caminho. Sua família pediu que ele voltasse para casa e desistisse do que estava fazendo. Pôncio Pilatos lhe ofereceu uma saída, mesmo no momento da cruz. E ainda assim Jesus perseverantemente recusou escolher o caminho mais fácil, Escolhendo, pelo contrário, fazer o que era certo aos olhos de seu Pai, e fazer a vontade de seu Pai.

    Portanto, isso significa que, se Deus é bom, e aqueles que conhecem a Deus buscam fazer o bem e o próprio Jesus nos deu um exemplo de fazer o que é bom, então fazer o bem é fruto do Espírito Santo dentro de nós; não é a maneira pela qual ganhamos o favor de Deus, certamente não é a maneira pela qual conseguimos a salvação, mas é a obra externa da vida de Deus e do Espírito de Deus dentro de nós. Paulo diz aqui que bondade é um fruto do Espírito Santo. E nisso ele está ecoando o ensino de Jesus, porque foi isso que Jesus disse em Lucas 6:43: “Não há árvore boa que dê mau fruto; nem tampouco árvore má que dê bom fruto. Cada árvore é conhecida pelo seu próprio fruto. Porque não se colhem figos de espinheiros, nem dos abrolhos se vindimam uvas. O homem bom tira o bem do bom tesouro do coração, e o mau tira o mal do mau tesouro; porque a boca fala do que está cheio o coração”. Então Jesus nos diz que o que fazemos mostra o que está dentro de nós; ou, podemos dizer, mostra quem está dentro de nós. E há esse chafariz de bondade no coração fluindo do Espírito de Deus, moldado pelo próprio Jesus para que venhamos a dar o fruto da bondade, ao sermos bons em nossos pensamentos, em nossas atitudes, nossas palavras e nossas ações, e ao fazermos o bem não como um idealista bobo que atrapalha amigos ocupados, mas como benfeitores, que são aqueles comprometidos a fazer coisas boas.

    Agora, por que essa forte ênfase? Porque ela reflete e reage ao evangelho da cruz e a dinâmica da cruz. Quando Paulo disse em Rm 12:21: “Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem”, ele está descrevendo exatamente o que Deus fez na cruz. Foi quando a absoluta bondade de Deus confrontou a absoluta maldade do que fizeram a Jesus na cruz, maldade tal que Deus absorveu, suportou e venceu pelo poder de seu amor. Então quando respondemos ao mal no mundo com fruto positivo do Espírito de benignidade e bondade, em primeiro lugar, estamos vivendo no poder da cruz e também antecipamos aquela vitória final da bondade de Deus sobre todo o mal no universo. Então oremos para que o poder do Espírito Santo produza o fruto do Espírito e o cultive em nossas vidas diárias, especialmente no mundo público do trabalho e serviço. Faça o que é bom, faça o que é certo. Isso é produzir o fruto do Espírito na bondade.


    _________________________________________________________________

    Por: Chris Wright. © Copyright The Langham Partnership. Todos os direitos reservados. Usado com permissão. Website: http://www.9aday.org.uk/
    Tradução: Voltemos Ao Evangelho (em parceria com O Tempora! O Mores!). Original


    0 comentários:

    Postar um comentário