• "O verdadeiro evangelho exalta a Deus... Se camuflado a excelência perderá!"

    EVANGELISMO NATURAL - (PARTE III)


    Parte I  |  Parte II  |  Parte III  |  Final

    8. JESUS E OS FARISEUS

    Você já olhou para a vida de Jesus? Se em nossas vidas existissem os mesmos valores e prioridades a nossa evangelização aconteceria naturalmente. Ela se tornaria um estilo de vida e não um projeto.

    8.1. QUEM ERAM OS FARISEUS?


    Era um grupo religioso separatista. Dedicavam-se a afastar-se de tudo que era impureza. Procuravam guardar as leis cerimoniais. Eram zelosos no que se refere a rituais, a alimentação, ao dar o dízimo e ao sábado.
    Os fariseus estudavam a lei e criaram um conjunto de interpretações e aplicações tradicionais que passaram a ser mais importantes que a própria lei. Para eles Jesus não era santo, pois violava o sábado, não lavava as mãos antes da refeição e comia e bebia com pecadores.
    Por isso eles foram duramente criticados por Jesus por honrarem mais a tradição dos anciãos do que a lei de Deus.

    8.2. O QUE OS FARISEUS CONSIDERAVAM IMPORTANTE?


    Obedecer rigorosamente às leis cerimoniais.
    Estavam menos preocupados com os profetas.
    Procuravam guardar a lei, mesmo as coisas mais simples.
    Havia leis que ensinava como alguém deveria saudar uma noiva.
    Como cumprimentar uma pessoa de luto.
    Havia leis sobre medicina preventiva: as mulheres, no sábado, deveriam evitar se olhar no espelho, pois se encontrassem um cabelo branco poderiam ser tentadas a arrancá-lo.

    8.3. QUAL FOI O RESULTADO DISSO?


    Eles negligenciaram os preceitos mais importantes da lei: A justiça, a misericórdia, e a fé. Seu apego à pureza cerimonial os afastaram de todos aqueles que não faziam parte deles. Separavam-se dos gentios e samaritanos.
    Eram indiferentes até com alguns judeus. Desejavam a solidariedade dos letrados, dos poderosos e sábios e a total separação dos outros. Entre eles o mais culto era o mais reverenciado, e diziam: “ Quanto a essa plebe que nada sabe da lei é maldita”. Jo.7.49.

    8.4. O QUE JESUS CONSIDERAVA IMPORTANTE?


    Jesus proclamava, através de sua vida e seus ensinos, que a única forma de agradar a Deus era ter um relacionamento apropriado com Deus e com o próximo. Jesus estava plenamente interessado em Deus e plenamente interessado nos homens.
    Para Jesus a causa dos homens era a causa de Deus. Seu estilo de vida era baseado na simples verdade: amar a Deus e amar o próximo. Sua vida era uma constante celebração do valor supremo: a dignidade e a preciosidade da vida humana.
    Dizia que: “ há mais alegria no céu por um pecador que se arrepende”.
    Jesus se identificava com aqueles que não eram importantes, com o fraco, com o pecador, com o pobre e o simples. Ele não se impressionava com a lei dos mais fortes, nem com a sua glória.
    O que impressionava a Jesus era o quanto os homens estavam dispostos a se submeterem a vontade de Deus. Ao amar as pessoas Jesus revelava a essência do Pai, as amava daquela maneira porque estava fazendo a vontade do Pai.

    8.5. O INTERPRETE DA LEI, LC.10.25-37.


    Ele pensava mais na religião do que nos homens. Suas ações refletem sua teologia. O modo como tratamos as pessoas revela o que pensamos de Deus. O tratamento que damos as pessoas é algo crítico. Elas entenderão o amor de Deus a partir do amor que demonstramos em nossas vidas.

    Parte I  |  Parte II  |  Parte III  |  Final



    0 comentários:

    Postar um comentário