• "O verdadeiro evangelho exalta a Deus... Se camuflado a excelência perderá!"

    EVANGELISMO NATURAL - (PARTE II)


    Parte I  |  Parte II  |  Parte III   |  Final

    7. JESUS, UMA PESSOA AGRADÁVEL


    Se lermos o evangelho com o propósito de “redescobrir Jesus”, a primeira impressão que teremos é que Jesus é uma pessoa totalmente agradável. Ele gostava das pessoas, gostava de ir a festas e a casamentos.

    Todos queriam convidá-lo para jantar. Ele estava sempre nos lugares onde as pessoas estavam. Jesus rapidamente criava intimidade com as pessoas, às crianças o amavam, os adultos se sentiam atraídos por Ele.

    As pessoas, no tempo de Jesus, achavam que homens santos eram inalcançáveis. Ele fez com que elas se sentissem bem-vindas e soubessem que havia lugar para elas. Jesus se importava profundamente com as pessoas e não escondia isso.

    Tinha o firme propósito de libertá-las, tornando-as plenas. Ele curava as pessoas porque se importava com elas. Não meramente porque elas poderiam vir a serem suas seguidoras. Ele nunca escondeu suas lágrimas, fosse ao momento em que pranteava por uma cidade ou quando chorava a perda de um amigo.

    7.1. A ressurreição do filho da viúva de Naim, Lc.7.11-17


    Ninguém lhe pediu que fizesse coisa alguma, provavelmente achando que não havia mais solução. O toque de Jesus no caixão significava contaminação, de acordo com a lei cerimonial. Ele tomou a iniciativa e trouxe o jovem á vida.

    7.2. A cura de um leproso, Mc.1.40-43


    O leproso chegou até Jesus, cheio de vergonha e feridas, de modo tímido, mas desesperado disse: “ Se quiseres, pode purificar-me”. Jesus poderia ter curado o leproso de mil formas diferentes, Ele simplesmente se aproximou dele e o tocou. O toque de Jesus não era necessário para a cura física, mas era importantíssimo para a cura emocional.

    Parte I  |  Parte II  |  Parte III   |  Final


    0 comentários:

    Postar um comentário