• "O verdadeiro evangelho exalta a Deus... Se camuflado a excelência perderá!"

    A CONTRADIÇÃO DOS NÃO-RELIGIOSOS - por Evanildo Sena


    Gostaria de refletir hoje sobre RELIGIÃO. Tem muita gente dizendo assim: “Não sou religioso”, “Religião mata!”, “Religião é um lixo!”… Observação: Eu estou falando de “cristãos” que estão dizendo isso e não de ateus, Ok? Vamos lá!

    Primeiramente vou deixar claro minha moderada insatisfação com o ‘cristianismo’ de hoje, os discípulos de Cristo que restaram para contar ao mundo sobre a obra redentora são poucos e, de fato, isto é explícito em toda Bíblia, pois Deus escolheu um povo e este nunca foi e nunca será a maioria. “A porta é estreita!” (Mt 7.13). Mas minha insatisfação não significa que eu não sou religioso, se eu disser isto estarei me contradizendo.

    “E todos os dias ensinava no templo;” (Lc 19:46). Jesus era um mestre da lei, um Rabi. Os discípulos, ao serem chamados por Ele, deixaram tudo para trás: suas profissões, seus lares, seus amigos, seus planos… Há um momento na vida de um judeu (daquele que quer se aprofundar nos estudos do Torá) onde ele precisa escolher o seu mestre e o seguir. Posso imaginar o quanto impactante foi para aqueles jovens, um Rabi vindo a eles, chamando-os para serem seus discípulos; Jesus os escolheu, o Mestre, humilde e sábio chamou aqueles jovens para serem seus discípulos e, logo depois os propagadores das boas novas (Mt 4.19). E o que significa isso? Formar um grupo de jovens, ensiná-los, transformá-los, capacitá-los para cumprirem todos os propósitos do Pai.

    O propósito do nascimento, morte e ressurreição de Jesus, foi de cumprir os planos de Deus Pai, foi a ação direta do amor dEle. Neste plano de salvação está contido o estabelecimento de sua igreja (Mt 16:18). Mas Deus é Deus, por si só, Ele não depende de anjos, do universo, da igreja, de nada, Ele como criador de tudo é autosuficiente, onipotente, majestoso (Ap 22.13). O seu Reino foi estabelecido pelo seu pleno poder (Mt 28.18), não foram ações humanas, não foram ideias filosóficas, foi Ele, por Ele, e para sua Glória (Rm 11.36). Mas tudo isso pra quê? Porquê Jesus comissiona homens para o seu reino já estabelecido?

    Religar o homem a Deus. A ligação que existia (rompida pelo pecado), só poderia ser refeita desta forma: Jesus em nosso lugar na Cruz, o Deus encarnado, pisado, chicoteado, crucificado (Rm 5.8)! E antes disso ali, estava nas sinagogas, ensinando, fazendo discípulos, sendo religioso! Sim! Jesus era religioso. Não somente religioso, mas o consumador da verdadeira religião, aquele que é mediador entre Deus e os homens (I Tm 2.5) , aquele que cumpre todos os propósitos do Pai, assim como a mais perfeita graça e misericórdia, nos transformando, de cães a filhos, de servos a amigos (Jo 15.15). Deus é maravilhoso, Jesus é maravilhoso. Essa Religião é maravilhosa, e não um lixo.

    E havia entre os fariseus um homem, chamado Nicodemos, príncipe dos judeus. Este foi ter de noite com Jesus, e disse-lhe: Rabi, bem sabemos que és Mestre, vindo de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não for com ele. João 3:1-2

    Lembro-me deste encontro de Nicodemos com Jesus, e a forma que ele (o fariseu) foi impactado. Ele chega para Jesus com elogios, falando de suas qualidades e reconhecendo que Ele vem da parte de Deus… Mas Jesus, sem rodeios, o convida a nascer de novo! Nicodemos era um homem que vivia os princípios da lei, mas Jesus, conhecendo seu coração, o chama para viver a verdadeira religião, para nascer da água e do Espírito, para receber o novo de Deus. A verdade é que precisamos sempre nos esvaziar, para sermos renovados e preenchidos pelo Espírito Santo de Deus, e o legalismo causa isso, uma religião impenetrante, incapaz de receber de Deus os seus propósitos e a sua boa, perfeita e agradável vontade (Rm 12:2).

    “Se a cruz não for o centro da nossa religião, a nossa religião não é a de Jesus.” – John Stott

    Se estamos ligados a Deus através de seu Filho Jesus, estamos sim na verdadeira religião, no verdadeiro amor, na verdadeira paz. A cruz deve ser o centro de nossas atenções, somos dependentes da cruz, somos dependentes de Cristo.

    E, entrando no templo, começou a expulsar todos os que nele vendiam e compravam, Dizendo-lhes: Está escrito: A minha casa é casa de oração; mas vós fizestes dela covil de salteadores. Lucas 19:45-46

    A comunhão e adoração na casa de Deus é algo evidente neste texto, algo bem claro que Jesus não quer que percamos, ou que façamos dela (casa de Deus), lugar de negócios e os que fazem assim estão na falsa religião.

    A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo.Tiago 1:27

    Eu não poderia terminar este texto sem citar Tiago 1.27, ele mostra como os religiosos transformados por Jesus devem viver. “Visitar” é um verbo, precisa de uma ação, a religião é prática e não estática. Não é somente visitar os órfãos e as viúvas, Tiago fala de um problema que era comum naquela época, e hoje, talvez sejam os mesmos ainda, talvez tenham outros piores que a igreja precisa dar atenção e agir: Visitar, Ir, sair do comodismo.

    Não consigo me ver orando, me congregando com meus irmãos, sendo discipulado pelo meu pastor, crescendo na graça de Deus e ao mesmo tempo dizendo: “Não sou religioso”. Não me envergonho da minha religião, assim como não me envergonho do evangelho de Jesus (Rm 1:16), que é a própria religião. O importante é não ser conformado, não achar que está tudo bem, Nascer de Novo! Viver para Cristo e sempre rever nossas atitudes como igreja (“A fé sem obras é morta” Tg 2.26).

    Então, antes que você saia por ai, dizendo que não é religioso, que a religião é um lixo, pense duas vezes, estude um pouco, o mínimo. Você tem todo direito de não estar conformado com as falsas aparências, com cristão acomodados, com os falsos mestres e ventos de doutrinas… Você tem todo o direito, só não negue em sua vida o plano de Deus, a ligação que Ele fez através do seu próprio Filho, a Religião.

    Graça e Paz do Mestre Jesus!



    0 comentários:

    Postar um comentário