• "O verdadeiro evangelho exalta a Deus... Se camuflado a excelência perderá!"

    TU ME AMAS? (PARTE III) - por Débora Raquel



    • O amor pode crescer

    Existe um objetivo na auto-avaliação consciente, isto é, na reflexão de como é o nosso amor por Jesus; esse objetivo é o de definir o alvo até alcançá-lo. Muitas vezes corremos para lugar nenhum, somente atrás do vento (Ec 1.14)

    "Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus." (Fp 3.14). 

    Se, ao pensarmos no amor que nutrimos por Cristo, verdadeiramente reconhecermos que não está tudo bem, que podemos nos dedicar mais, amá-lo mais, nos entregar mais numa vida de adoração, Ele nos ouvirá, e nos ajudará. 

    Creio que Deus ama um coração sincero. Ele nos ama e merece de nós todo o amor que podemos dar. Amá-lo não significa somente se encher de cargos na igreja, está engajado em vários projetos. Até porque, muitas vezes fazemos a obra para Cristo, sem estarmos com Cristo. A vida dentro da instituição eclesial é muito pequena se comparada a vida cotidiana, que implica em pensamentos, ações a todo o momento. Nosso amor pelo Senhor deve se revelar nos pequenos detalhes, afinal, são as raposinhas que destroem a vinha (Ct 2.15). Amá-lo significa não pecar, viver uma vida de intimidade com o Senhor. 

    Deus a todo o tempo nos cerca para que possamos amá-lo, possamos enfim se voltar a Ele. Foi assim que ele fez com o povo de Israel, como está escrito em Oséias: 

    Portanto, eis que cercarei o teu caminho com espinhos; e levantarei um muro de sebe, para que ela não ache as suas veredas. Os 2:6 

    O casamento de Oséias e Gomér, a prostituta, foi um exemplo que Deus utilizou para representar as atitudes de interesse e adultério que o povo de Israel estava cometendo contra o Deus que os livrou do cativeiro do Egito (Os 2.15). Ainda sim, o Senhor não desprezou Israel e nem nos despreza. Ao contrário, Ele nos quer, e, quando nos colocamos em posição de dependência, sobretudo em relação ao que sentimos por Ele, a graça nos alcança. 

    Perceba que Jesus, mesmo escutando Pedro sinceramente dizer que não o amava completamente como deveria, não o desprezou. Ao contrário, em todo o tempo dizia: “Apascenta as minhas ovelhas.” 

    Nos versículos 18 e 19, Jesus ainda completa dizendo: 

    Na verdade, na verdade te digo que, quando eras mais moço, te cingias a ti mesmo, e andavas por onde querias; mas, quando já fores velho, estenderás as tuas mãos, e outro te cingirá, e te levará para onde tu não queiras. E disse isto, significando com que morte havia ele de glorificar a Deus. E, dito isto, disse-lhe: Segue-me. - João 21:18-19 

    Aqui, o Mestre aponta que, apesar de Pedro tê-lo negado três vezes, e de ter um amor limitado pelo Senhor, por sua sinceridade e total dependência de Deus, haverá outras oportunidades para glorificar o nome de Jesus, até mesmo com a sua própria morte. É como se Jesus tivesse dito: Pedro, sei que hoje seu amor por mim é phileo, mas te digo que ele será ágape. Só prossiga para o alvo. 

    Deus acredita em nós mais do que nós acreditamos. Ele consegue enxergar o que você ainda terá. A bíblia diz que o Espírito Santo, ajuda na nossa fraqueza, intercedendo por nós com gemidos inexprimíveis, pois não sabemos orar (Rm 8.26)

    Então, uma vez assumido a dimensão do nosso amor por Jesus hoje, sendo ela grande ou pequena, o Senhor diz: fique comigo, me busque de TODO o coração e você me achará (Jr 29. 13).


    0 comentários:

    Postar um comentário