• "O verdadeiro evangelho exalta a Deus... Se camuflado a excelência perderá!"

    O SOFRIMENTO - por Iracema Santos




    Por que acontecem coisas ruins? Se Deus é tão bom, por que ele não evita o sofrimento? Como devemos reagir quando acontecem coisas que não nos fazem sentido?
    Essas situações, que incomodam os homens durante séculos, não devem abalar nossa fé. A palavra de Deus fornece algumas respostas e sustenta poderosamente nossa fé mesmo quando algumas perguntas permanecem sem resposta.
    Por que o justo sofre?
    1- Por causa do pecado (Rm. 3.23)
    Deus criou o homem à sua própria imagem (Gênesis 1:26). Isto não quer dizer que o homem se pareça fisicamente com Deus, pois ele não tem um corpo carnal (João 4:24). O que significa é que o homem tem consciência racional e livre arbítrio para determinar seus próprios atos.
    Essa liberdade explica por que o sofrimento se originou.
    O sofrimento resulta do pecado humano, direta ou indiretamente. Por exemplo, a fornicação frequentemente causa doenças transmitidas sexualmente e daí o sofrimento ("...o caminho dos pérfidos é intransitável" Provérbios 13:15). A ira descontrolada faz com que outros sofram. Algum sofrimento é o resultado indireto do pecado, porque não vivemos mais no paraíso, mas num ambiente amaldiçoado por causa do pecado. A conclusão é que o sofrimento acontece porque Deus deu ao homem livre arbítrio e este resolveu pecar.
    2- Para provar o justo (Ec. 3.16).
    A dor é uma grande ferramenta de ensino. Hebreus 12 revela que Deus disciplina os filhos que ele ama. Pais terrenos também disciplinam seus filhos porque os amam e querem exercitá-los no caminho certo. Em vez de nos ressentirmos contra a disciplina de Deus, devemos apreciar que ele tenha bastante cuidado para conosco a ponto de nos corrigir. "Toda disciplina, com efeito, no momento não parece ser motivo de alegria, mas de tristeza; ao depois, entretanto, produz fruto pacífico aos que têm sido por ela exercitados, fruto de justiça" (Hebreus 12: 11). O salmista reconheceu o valor do sofrimento em sua própria vida: "Antes de ser afligido, andava errado, mas agora guardo a tua palavra... Foi-me bom ter eu passado pela aflição, para que aprendesse os teus decretos" (Salmo 119: 67,71).

    Conclusão

    O sofrimento nos ajuda a conhecer Deus, e sua fidelidade. Aprendendo a ter:
      Confiança. Paulo aprendeu a confiar mais em Deus por causa das circunstâncias perigosas (2 Coríntios 1:8-9). Experimentar tempos difíceis nos faz mais cônscios de nossa necessidade de Deus e assim desenvolvemos confiança nele, não em nós mesmos.
      Humildade. Deus deu a Paulo um espinho na carne para impedi-lo de se exaltar (2 Coríntios 12:7-9). A arrogância invade sutilmente nossos corações; as aflições ajudam a resistir a esta tentação.
      Perspectiva. Deus quer que vivamos como peregrinos aqui, entendendo que o céu é o nosso verdadeiro lar (Colossenses 3:1-4; Filipenses 3:20). Mas quando as coisas vão bem para nós nesta vida, sentimo-nos em casa no mundo e deixamos de almejar estar com o Senhor. As aflições nos ajudam a visar a verdadeira meta.
    O sofrimento leva-nos a Deus. Ele é a consequência do mal, é um sinal do que seria a vida sem Deus. Dando-nos um vislumbre do tipo de mundo que haveria se Deus estivesse ausente, com o sofrimento aprendemos que precisamos de Deus.
    Iracema Santos

    0 comentários:

    Postar um comentário