• "O verdadeiro evangelho exalta a Deus... Se camuflado a excelência perderá!"

    AS CONSEQUÊNCIAS DO PECADO (FINAL) – por Paulo Roberto




    A paz de Cristo Jesus! Continuação...



    3.1.1. A punição. 

    A possibilidade do castigo divino, portanto, é outra conseqüência de nossos pecados. É importante apurarmos a natureza e o propósito da punição de Deus para com o pecador. 

    · É reparadora com o intuito de corrigir o pecador. 

    · É repressiva, com destaque as conseqüências a que leva o pecado. 

    · É retribuitiva, designada simplesmente para dá aos pecadores o que merecem. 

    Há numerosas referências na bíblia, à dimensão retributiva da punição divina para os pecadores. Exemplos são encontrados em: 

    Isaías 1.4; 61.2; 63.4; Jeremias 46.10 e Ezequiel 45.14. No Salmo 94.1 Deus é mencionado como Deus da vingança, mas em se tratando da punição de Deus para os pecadores “retribuição” é um termo melhor que “vingança”, pois essa carrega a idéia de fazer retaliação, de obter satisfação psicológica. 

    3.1.2. A Morte Física. 

    Umas das conseqüências mais óbvia do pecado é morte, isso é tanto um fato como uma verdade ensinada pelas escrituras (Hb 9.27). Paulo em Romanos 5.12 atribui a morte ao pecado original de Adão. Embora a morte tenha entrado no mundo por meio do pecado de Adão, espalhou-se por todos os homens porque todos pecaram. 

    Mais o homem teria morrido se não houvesse pecado? O calvinista vai dizer que a morte física entrou com a maldição. Os pelagianos vão dizer que a humanidade foi criada mortal, que o princípio da morte faz parte de toda criação. As referências bíblicas à morte como conseqüência do pecado são entendidas como referências à morte espiritual, separação da Deus, e não morte física. Desta falaremos agora. 

    3.1.3. A Morte Espiritual. 

    Esta é tanto ligada à morte física com dela distinta. A morte espiritual é a separação da pessoa, em toda a sua natureza, de Deus. Deus sendo um ser perfeito e santo, não pode desdenhar o pecado nem tolerar sua presença. Assim o pecado é uma barreira para o relacionamento entre Deus e ao seres humanos. O pecado os coloca sob o julgamento e a condenação de Deus. 

    3.1.4. A Morte Eterna. 

    A morte eterna é uma extensão e finalização da morte espiritual. Se alguém chega a morte física estando ainda espiritualmente morto, separado de Deus, esta condição torna-se permanente. 

    4. EFEITOS SOBRE O PECADOR 

    · Escravização: um dos efeitos do pecado é seu poder escravizador. O pecado torna-se hábito ou até vício. 

    · Fuga a realidade: o pecado também resulta falta de disposição para encarar a realidade, suas conseqüências não são vista de modo realista. 

    · Negação do pecado: há várias maneiras de negar o pecado. Ele pode receber outro nome, de modo a não ser reconhecido como tal. 

    · Auto-engano , insensibilidade, egocentrismo, inquietação são outros efeitos do pecado. 

    CONCLUSÃO 

    É bem fácil concluirmos que o pecado é um mal que atingiu toda a humanidade. E o mais afetado foi o próprio homem que perdeu sua plena comunhão com Deus e com o seu próximo e consequentemente ficou destinado ao fogo eterno, a não ser que ele entregue sua vida a Cristo Jesus.

    Ev. Paulo Roberto


    << Parte III


    0 comentários:

    Postar um comentário