• "O verdadeiro evangelho exalta a Deus... Se camuflado a excelência perderá!"

    SOMOS CEGOS DE NASCENÇA - por Evanildo Sena




    Eu ficava assentado à beira do caminho, minha rotina era mendigar o pão. Algumas pessoas evitavam uma proximidade e só sussurravam de longe, outras me apelidavam de sujo, imundo. De alguns eu sentia o toque de suas mãos sobre minha cabeça, que rastejava seus dedos lentamente, entre os meus cabelos, enquanto o som dos passos não sumia e dava lugar a palavras de pena: “pobre coitado”“que o Senhor tenha piedade”“Ele vive aqui, tão desprezado”. De outros eu não sentia afeto e nem rejeição, mas indagavam entre si: “seus pais pecaram?”, “qual o pecado dele?”.
    Mas naquele sábado algo mudou minha vida. Sentado, como de costume, eu ouvi alguém se aproximar. A princípio eu pensei que fosse mais um zombador, um mal-educado, pois cuspira, mas não senti pingo algum sobre mim, e logo seu corpo me trouxe uma sombra fresca, já me sentia protegido ali, naqueles poucos segundos pude perceber que estar na sua sombra era seguro, me dava paz.
    E agachando tocou em meus olhos com algo gosmento. “Vai, lava-te no tanque de Siloé”. Eu achei estranha esta ordem, mas não iria ficar com aquele lodo, tive fé, acreditei naquelas palavras e obedeci. Quando joguei água em meus olhos eu me vi nascendo, o brilho do sol, a luz, as cores, tudo tão novo pra mim, tão belo, as formas, o contorno das coisas que eu antes só sentia, maravilhoso. Eu vivia nas trevas e agora passei a andar na luz.
    João, capítulo 9.
    O que Jesus provou ao dar vista a este cego de nascença? O que quis nos ensinar com isto?
    Certamente a cura deste cego era uma resposta àqueles que o desonraram no templo (Jo8 ). Jesus mostrou através de milagres, se revelou a eles e mesmo assim eles não creram, simplesmente o ignoraram, mas havia uma explicação: cegueira espiritual. Eles achavam que conheciam a Deus, mas andavam distante de uma comunhão verdadeira com Ele.
    Quero rapidamente resumir o debate de Jesus com os fariseus no templo, a fim de percebermos a rejeição deles acerca da natureza de Jesus:
    Fariseus: Tu testificas de ti mesmo; o teu testemunho não é verdadeiro. João 8:13
    Jesus: E na vossa lei está também escrito que o testemunho de dois homens é verdadeiro. Eu sou o que testifico de mim mesmo, e de mim testifica também o Pai que me enviou. João 8:17-18
    Fariseus: Onde está teu Pai? João 8:19
    Jesus: Não me conheceis a mim, nem a meu Pai; se vós me conhecêsseis a mim, também conheceríeis a meu Pai. João 8:19
    Fariseus: Somos descendência de Abraão, e nunca servimos a ninguém; como dizes tu: Sereis livres?  João 8:33
    Jesus: Bem sei que sois descendência de Abraão; contudo, procurais matar-me, porque a minha palavra não entra em vós. João 8:37
    Fariseus: Nosso pai é Abraão. João 8:39
    Jesus: Se fósseis filhos de Abraão, faríeis as obras de Abraão. João 8:39
    Fariseus: temos um Pai, que é Deus. João 8:41
    Jesus: Se Deus fosse o vosso Pai, certamente me amaríeis, pois que eu saí, e vim de Deus; não vim de mim mesmo, mas ele me enviou. João 8:42
    Fariseus: Não dizemos nós bem que és samaritano, e que tens demônio? João 8:48
    Jesus: Eu não tenho demônio, antes honro a meu Pai, e vós me desonrais. João 8:49
    Fariseus: Ainda não tens cinqüenta anos, e viste Abraão? João 8:57
    Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, eu sou. João 8:58




    E disse-lhe Jesus: Eu vim a este mundo para juízo, a fim de que os que não vêem vejam, e os que vêem sejam cegos. João 9:39
    Aqueles que se achavam conhecedores da lei estavam totalmente distantes de Deus e imperceptíveis a sua vontade, é o risco que nos dias de hoje não podemos correr, não devemos achar que somos os donos da verdade, pois de fato não há verdade nenhuma em nós, quando esta vem de nós mesmos, mas quando o que falamos aponta para Cristo, para o sacrifício da Cruz, a verdade resplandece como luz nos olhos daqueles que se permitem serem tocados por Jesus.
    Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? João 9:2
    A Bíblia diz que todos pecaram e carecem da glória de Deus (Rm 3.23), então por que Jesus responde dizendo que nem ele e nem seus pais pecaram? (v3).
    De fato aquele cego era um pecador como todos nós e precisava de um encontro com Jesus. Ele precisava, assim como nós, crer no Filho de Deus e se prostrar e O adorar. Mas Jesus estava premeditando uma comparação daquele cego com os fariseus que iriam lhe interrogar a cerca de seu milagre. Jesus demonstrou que mesmo não tendo visto os seus milagres, não tendo acesso à lei, não tendo a oportunidade de estar ao seu lado, o cego deixou que Ele o tocasse e o curasse, ele teve fé, acreditou que Ele realizou tudo aquilo da parte de Deus (v33). O cego não disse: “tens demônios”, muito pelo contrario, nas respostas aos questionamentos dos fariseus ele deu uma aula (v24-34) de como reconhecer quando algo vem de Deus, ele estava ciente que ninguém poderia curá-lo, se não agisse da parte de Deus.
    Somos cegos de nascença. Assim somos nós, quando acreditamos que Jesus é o Filho de Deus, quando ouvimos o seu Evangelho e Ele nos pergunta em nosso coração? “Crês tu no Filho de Deus?” (v35),“Creio, Senhor” (v38).
    Disse-lhes Jesus: Se fósseis cegos, não teríeis pecado; mas como agora dizeis: Vemos; por isso o vosso pecado permanece. João 9:41
    Jesus estava dizendo abertamente para os fariseus: (parafraseando), Olha, se vocês fossem cegos e não tivessem visto meus sinais, não teriam pecado desta maneira contra mim, mas como vocês mesmos estão dizendo “Não somos cegos, estamos vendo” e mesmo assim não acreditam que eu sou o Filho de Deus, então vocês continuam pecadores, ainda precisam de arrependimento, ainda precisam me reconhecer como Senhor e Salvador de vocês…
    Aquele que acredita que Jesus é o Filho de Deus, antes era cego e Cristo o trouxe para luz, pois mesmo não podendo ver a Jesus, permitiu que Ele o tocasse, decidiu lavar-se e enxergar os planos de Deus.
    Certamente não era necessário Jesus fazer um lodo, untar os olhos e pedir que ele se lavasse. Com certeza uma palavra sua bastaria, pois ele pode todas as coisas (Mc 10.27), mas Jesus nos ensina que temos que permitir que ele faça uma obra em nós, que temos que aprender a confiar nEle, mesmo não O vendo, devemos obedecer a sua voz e então sermos lavados, sermos curados e nascermos de novo, com olhos espirituais, enxergando a glória de Deus.
    Que o Senhor Jesus abençoe a todos.
    Evanildo Sena

    Fonte: www.ojardimdedeus.com

    - Perfil do Autor - 

    0 comentários:

    Postar um comentário